Noticias de URIALC

quinaroa-dia-pazx96

19 / agosto / 2017

 

CC MIR Rio de Janeiro participa do evento Fé no Clima: workshop sobre mudanças climáticas para lideranças religiosas

Graças Nascimento e Alice Gress, do CC Movimento Inter-religioso do Rio de Janeiro, foram convidadas a participar deste importante evento sobre mudanças ambientais e climáticas, que aconteceu em 22 de agosto de 2017, no Museu do Meio Ambiente - Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

A iniciativa Fé no Clima resulta de uma longa caminhada de mobilização e pesquisa produzida pelo Instituto de Estudos da Religião - ISER e seus parceiros, a partir de diferentes momentos e ênfases, a partir da inspiração da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento Rio de Janeiro 1992, conhecida como Rio 92.

Desde 2015, com um encontro seminal envolvendo doze destacadas e diversas lideranças religiosas, o Fé no Clima veio se consolidando na produção de reflexão e articulação de lideranças, conjugando esforços no combate ao desafio de lidar com as mudanças climáticas. Religiosos com sensibilidade para a causa e compromisso de ampliar a conscientização sobre as mudanças climáticas vêm se somando aos poucos, ampliando a riqueza da diversidade e capilaridade do grupo.

No presente encontro propomos um diálogo aberto e fecundo entre saberes oriundos de diferentes campos como acadêmicos/cientistas do clima, ativistas e mobilizadores, comunicadores, e religiosos visando potencializar e ampliar essa interlocução proativa entre os diferentes campos de ação climática e as diferentes comunidades religiosas.

Desejamos fortalecer e qualificar ações em curso e fomentar novas propostas de ação para o Fé no Clima no futuro próximo, reunindo a sabedoria e fé dos religiosos em conexão com os desafios e prioridades de ação climática, sempre em prol do bem comum e da justiça socioambiental.

O encontro aborda algumas das temáticas-chave sobre mudanças climáticas, tais como: as negociações internacionais sobre clima e o papel do Brasil, mitigação e adaptação às mudanças climáticas, políticas públicas e governança climática, dentre outros.

Portanto, a partir da troca de conhecimentos entre diferentes grupos religiosos e lideranças do campo climático, esperamos proporcionar um espaço que facilite a mobilização entre grupos com esperança ativa e fé proativa por uma ação em prol de um clima melhor, sobretudo ambiental, mas também social e relacional.

O evento teve os seguintes oradores: Adriana Ramos: Coordenadora do Programa de Política Social e Ambiental do ISA; Antônio Nobre: Doutor em Bioquímica e Ciências da Terra, pesquisador sênior do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA; Ariovaldo Ramos: Pastor, teólogo, filósofo e escritor, diretor acadêmico da Faculdade Latino-Americana de Teologia Integral; Flávia Pinto: Sacerdotisa e fundadora do Terreiro de Umbanda, Casa do Perdão, socióloga, ativista do Movimento Negro; Fletcher Harper: Pastor Episcopal, Diretor Executivo da GreenFaith, uma coalizão ambiental multi-religiosa norte-americana; Josafá Siqueira: Padre, Teólogo, Doutor em Ciências Biológicas, Reitor da PUC Rio; Juliana Russar: Estrategista de campanha na Global Campaign for Climate Action (GCCA); Mario Mantovani: Geógrafo, especialista em Gestão de Recursos Hídricos, co-fundador e diretor executivo da Fundação SOS Mata Atlántica; Marussia Watherly: Consultora na Área de Recursos Hídricos e Sustentabilidade; Pedro Strozenberg: Pesquisador do ISER e ouvidor da Defensoria Pública do RJ; Rachel Biderman: Diretora Executiva do World Resources Institute (WRI) Brasil, vice-presidente do Conselho do WWF e membro do Comitê Estratégico da Coalizão Brasil, Clima, Florestas e Agricultura; Sérgio Besserman: Professor do Departamento de Economia da PUC Rio de Janeiro e presidente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro; Siã Huni Kuin: Cacique Huni Kuin do Rio Jordão, no Acre. Cofundador da União das Nações Indígenas e da Associação de Seringueiros Kaxinawa do Rio Jordão; Sônia Bridi: Jornalista, repórter especial do Fantástico (Rede Globo). Especialista em coberturas de meio ambiente, ciência e tecnologia, acompanhou o desenvolvimento do projeto Genoma Humano.


quinaroa-dia-pazx96 quinaroa-dia-pazx96 quinaroa-dia-pazx96

 

CC MIR Rio de Janeiro participa do evento Fé no Clima: workshop sobre mudanças climáticas para lideranças religiosas

30 / Agosto / 2017

 

Graças Nascimento e Alice Gress, do CC Movimento Inter-religioso do Rio de Janeiro, foram convidadas a participar deste importante evento sobre mudanças ambientais e climáticas, que aconteceu em 22 de agosto de 2017, no Museu do Meio Ambiente - Jardim Botânico do Rio de Janeiro.


A iniciativa Fé no Clima resulta de uma longa caminhada de mobilização e pesquisa produzida pelo Instituto de Estudos da Religião - ISER e seus parceiros, a partir de diferentes momentos e ênfases, a partir da inspiração da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento Rio de Janeiro 1992, conhecida como Rio 92.


Desde 2015, com um encontro seminal envolvendo doze destacadas e diversas lideranças religiosas, o Fé no Clima veio se consolidando naprodução de reflexão e articulação de lideranças, conjugando esforços nocombate ao desafio de lidar com as mudanças climáticas. Religiosos comsensibilidade para a causa e compromisso de ampliar a conscientização sobreas mudanças climáticas vêm se somando aos poucos, ampliando a riqueza dadiversidade e capilaridade do grupo.


No presente encontro propomos um diálogo aberto e fecundo entre saberesoriundos de diferentes campos como acadêmicos/cientistas do clima, ativistase mobilizadores, comunicadores, e religiosos visando potencializar e ampliaressa interlocução proativa entre os diferentes campos de ação climática e asdiferentes comunidades religiosas.


Desejamos fortalecer e qualificar ações em curso e fomentar novaspropostas de ação para o Fé no Clima no futuro próximo, reunindo a sabedoriae fé dos religiosos em conexão com os desafios e prioridades de açãoclimática, sempre em prol do bem comum e da justiça socioambiental.


O encontro aborda algumas das temáticas-chave sobre mudanças climáticas,tais como: as negociações internacionais sobre clima e o papel do Brasil,mitigação e adaptação às mudanças climáticas, políticas públicas egovernança climática, dentre outros.


Portanto, a partir da troca de conhecimentos entre diferentes gruposreligiosos e lideranças do campo climático, esperamos proporcionar umespaço que facilite a mobilização entre grupos com esperança ativa e féproativa por uma ação em prol de um clima melhor, sobretudo ambiental, mastambém social e relacional.


O evento teve os seguintes oradores: Adriana Ramos: Coordenadora do Programa de Política Social e Ambiental do ISA; Antônio Nobre: Doutor em Bioquímica e Ciências da Terra, pesquisador sênior do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA; Ariovaldo Ramos: Pastor, teólogo, filósofo e escritor, diretor acadêmico da Faculdade Latino-Americana de Teologia Integral; Flávia Pinto: Sacerdotisa e fundadora do Terreiro de Umbanda, Casa do Perdão, socióloga, ativista do Movimento Negro; Fletcher Harper: Pastor Episcopal, Diretor Executivo da GreenFaith, uma coalizão ambiental multi-religiosa norte-americana; Josafá Siqueira: Padre, Teólogo, Doutor em Ciências Biológicas, Reitor da PUC Rio; Juliana Russar: Estrategista de campanha na Global Campaignfor ClimateAction (GCCA); Mario Mantovani: Geógrafo, especialista em Gestão de Recursos Hídricos, co-fundador e diretor executivo da Fundação SOS MataAtlántica; MarussiaWatherly: Consultora na Área de Recursos Hídricos e Sustentabilidade; Pedro Strozenberg: Pesquisador do ISER e ouvidor da Defensoria Pública do RJ; Rachel Biderman: Diretora Executiva do World ResourcesInstitute (WRI) Brasil, vice-presidente do Conselho do WWF e membro do Comitê Estratégico da Coalizão Brasil, Clima, Florestas e Agricultura; Sérgio Besserman: Professor do Departamento de Economia da PUC Rio de Janeiro e presidente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro; SiãHuniKuin: Cacique HuniKuin do Rio Jordão, no Acre. Cofundador da União das Nações Indígenas e da Associação deSeringueiros Kaxinawa do Rio Jordão; Sônia Bridi: Jornalista, repórter especial do Fantástico (RedeGlobo). Especialista em coberturas de meio ambiente, ciência etecnologia, acompanhou o desenvolvimento do projeto Genoma Humano.


eventofeenelclima011
eventofeenelclima011
eventofeenelclima011
eventofeenelclima011

 

CC Foro Espiritual de Santiago, Chile.

Jornada de oración por la paz

22 / Agosto / 2017

 

foroespiritual01
foroespiritual01
foroespiritual01
foroespiritual01

 

Taller sobre cambios climáticos para líderes religiosos. CC MIR

22 / Agosto / 2017

 

tallercambiosclimaticos
tallercambiosclimaticos
tallercambiosclimaticos
tallercambiosclimaticos
tallercambiosclimaticos
tallercambiosclimaticos
tallercambiosclimaticos
tallercambiosclimaticos
tallercambiosclimaticos

 

BICENTENÁRIO DO ANIVERSÁRIO DE BAHÁULLÁH.

05 / Agosto / 2017

 

Neste ano de 2017, os baháis comemoram, em mais de 200.000 localidades pelo mundo, o bicentenário do aniversário de Baháulláh, O Manifestante de Deus para esta nova era, que trouxe os princípios divinos e os fundamentos sobre os quais irá se erigir uma nova civilização humana a perdurar pelos próximos mil anos. Baháulláh é o portador de uma nova Mensagem para a humanidade.


No Brasil, foi criado um site especial sobre Ele, o Fundador da Fé Bahái: www.bahaullah.org.br


O site conta com uma seção de textos e imagens que narra alguns dos episódios mais marcantes de Sua vida. Traz também uma breve introdução sobre alguns princípios da Fé, além de orações e citações.


Em espanhol: https://www.bahaullah.es/ Sitio web de la comunidad mundial baháí: www.bahai.org/es/


Segundo Abdul-Baha, o filho de Baháulláh, os ensinamentos de Seu Pai são a luz desta nova era. De forma resumida, as diretrizes que irão reger o mundo pelos próximos mil anos, com base em Seus ensinamentos, versam sobre:


A) UNIDADE:


A1) unicidade de Deus - existe um só Deus, não importa o nome que Lhe dêem;


A2) unidade dos Manifestantes de Deus (ou Mensageiros de Deus, ou Profetas) - todos fazem parte de um plano de evolução do gênero humano, como se fossem os professores conseqüentes de uma escola. Cada um Deles veio numa época diferente, em partes diferentes do globo, mas todos com a mesma dupla finalidade: a) ensinar cada ser humano a viver melhor neste mundo consigo mesmo, com seus semelhantes e com tudo que foi criado. b) preparar-nos para nossa verdadeira vida que é espiritual e eterna (somos, na realidade, espíritos habitando, momentaneamente, um corpo físico)


A3) unidade do gênero humano ("Sois todos frutos da mesma árvore e gotas do mesmo oceano")


B) INDEPENDENTE INVESTIGAÇÃO DA VERDADE (ver com seus próprios olhos e ouvir com seus próprios ouvidos - não com os alheios)


C) HARMONIA ESSENCIAL ENTRE CIÊNCIA, RELIGIÃO E RAZÃO.


D) ELIMINAÇÃO DE PRECONCEITOS DE QUALQUER ESPÉCIE - de raça, de religião, os preconceitos mundanos e políticos.


E) RETIDÃO E JUSTIÇA. ("A mais amada de todas as coisas, a Meu ver, é a Justiça")


F) APRIMORAMENTO DA MORAL e EDUCAÇÃO UNIVERSAL COMPULSÓRIA.


G) IGUALDADE DE DIREITOS E DEVERES ENTRE OS GÊNEROS.


H) UM IDIOMA MUNDIAL AUXILIAR.


I) UM GOVERNO MUNDIAL DE BASE DEMOCRÁTICA, COM UM PARLAMENTO MUNDIAL, UMA CORTE INTERNACIONAL DE JUSTIÇA E UMA FORÇA INTERNACIONAL DE PAZ.


J) ELIMINAÇÃO DOS EXTREMOS DE POBREZA E RIQUEZA.


J) PAZ UNIVERSAL.


 

Celebremos la Pachamama

03 / Agosto / 2017

 

Este sábado 19 de agosto, desde las 11 y hasta las 17 horas en el Paseo de la Costa de Vicente Lopez (Laprida y el río), celebramos la Pachamama, en el marco de Argentina celebra que promueve la diversidad Cultural.


La ceremonia de darle de comer a la Madre Tierra, se iniciará al medio día y continuará hasta el cierre con una jornada festiva de música en vivo, danzas y coplas.


El mes de agosto es el mes de la Pachamama, esto es importante para el Pueblo Kolla, porque a partir de ese momento comienza la tarea agrícola. La Pachamama es una sabiduría ancestral, nuestros abuelos nos enseñaron a entender nuestro lugar en la naturaleza y en la vida.


Pachamama es una herencia que nos dejaron nuestros mayores, pero hoy es una herencia para toda humanidad, para el cuidado de nuestro planeta.


Invitamos a toda la Comunidad y público en general a participar de la Pachamama trayendo su ofrenda (comida, frutas, bebidas , coplas y música) para la Madre Tierra.


celebrandopachamama