Noticias de URIALC

1st INDIGENOUS SPIRITUALITY AND INTER-RELIGIOSITY MEETING.

22 / Febrero / 2017

 

This was a beautiful and inspiring meeting held by Caminhos da Terra (Paths of Earth) Cooperation Circle of the United Religions Initiative – URI, in Goiânia, Brazil. The great differential of the event was the conduction of it by two indigenous natives of the Fulni-ô Nation, from the lands of Pernambuco, Brazil. It is a great indigenous tribe, the only group in the northeast region of Brazil that has kept alive and active their own language - the Ia-tê - as well as a ritual that they call Ouricuri, which they currently carry out in the most secrecy to keep it safe. They were specially invited to this event by Isabel Cristina Medeiros, shaman and therapist, who has dedicated her life to the work with art and healing linked to the indigenous traditions. Isabel has found the Caminhos da Terra (Paths of Earth) Group, that organized this meeting. These two natives have been doing a great work of diffusion of the indigenous culture and traditions in Brazil. They have been invited to several events as well to some TV shows. The objective of Caminhos da Terra was to make a great event to celebrate the World Interfaith Harmony Week, but given the natives’ busy agenda, the closer date possible to schedule the meeting was December 14 to 16, 2016.


The Regional Coordination of the United Religions Initiative – URI – for Latin America and the Caribbean saw in this event a great opportunity to strength the interfaith cooperation in Brazil and supported the event covering the travel costs of the natives which together with the donations and volunteer work of the Caminhos da Terra CC, made this event open and free for the general public in Goiânia. The natives shared their ancestral wisdom, their practices of healing and reconciliation with nature during 3 beautiful evenings.


OBJECTIVES OF THE MEETING


- Celebrate the World Interfaith Harmony Week bringing the ancestral and native tradition together with modern ones.


- Give the public of Goiânia the opportunity to get to know the indigenous spirituality, the wisdom of the Fulni-ô Nation, the experience with the Pajelance and the Medicine Wheel and the indigenous philosophy.


- Strengthen connections with Planet Earth through the energy of shamanism.


- Become aware of the importance of indigenous culture as an anchor for our daily lives.


- Cultivate inter-religiosity, through the participation of people of the most different religions and spiritual traditions.


- Build interfaith cooperation among people in Goiânia, in Goiás and in Brazil.


SCHEDULE


Day 1 – December 14, 2016, 7:00 p.m. to 9:00 p.m.


We had the first encounter that was call Group Pajelance, where the Tafkea Warrior, head of the Clan of the Wind, spoke about the cultural tradition of his Fulni-ô Nation. He spoke about how the natives see and deal with spirituality and healing. He sang, danced with the native warrior Miitxya and with the whole group. Then there was a moment of conversation, where participants interacted by exchanging ideas and discussing indigenous spirituality.


Day 2 – December 15, 2016, 7:00 p.m. to 9:00 p.m.


We had the second meeting with the Caminhos da Terra CC and invited guests, again with presence and participation of the natives. There were representatives of several religions and spiritual traditions, such as Candomblé, Umbanda, Spiritism, Catholicism, Wicca and Spiritualism. The meeting was very productive: we talked, sang and danced together with Tafkea and Miitxya, on a journey with the sound of drums and maracas, healing our wounded hearts.


Day 3 - December 16, 2016, 9 a.m. to 10 p.m.


We had the traditional indigenous Medicine Wheel. We began with a shamanic prayer, the sacred fire ritual performed by the shaman Isabel Cristina Medeiros. Then the dance of the 4 elements, performed by Nathália Guimarães, representative of Wicca and then the entrance of Tafkea commanding the Medicine Wheel together with Miitxya, Isabel and Nathalia. It was a time of high vibration, with shamanic chants and the empowerment ritual of the power animals.


CONCLUSIONS:


In this beautiful event, we honored our indigenous ancestors and their millenarian practices of healing and harmony with nature and life. We better understood how indigenous spirituality works, learning directly from the source, with the natives of the Fulni-ô Nation.


We are more aware of the richness and depth of indigenous culture and tradition, which we must preserve, so that it will be a source of wisdom for future generations as well. It is necessary to have more interaction and integration between the people from different backgrounds and traditions and thus build lasting cooperation.


Around 150 people attended the meeting during the 3 days. We had the opportunity to talk about interfaith collaboration in many moments. The population of Goiânia has gained a lot from the wisdom and healing practices of our ancestors.


CONTINUITY:


Through the Roots of Mother Earth Project (www.raizesdamaeterra.com.br), which aims to bring indigenous culture and tradition to schools throughout Brazil and the world, we are preparing the visit of the Fulni-ô natives to the city of Goiânia soon again this year, for the Project in schools and some more Medicine Wheels. Caminhos da Terra CC, is working daily to achieve this goal.


With love and healing energies,


Isabel Cristina Medeiros

Coordinator of the Caminhos da Terra (Paths of Earth) Cooperation Circle of the United Religions Initiative – URI.


 

SEMANA DO “DIA NACIONAL DE COMBATE À INTOLERÂNCIA RELIGIOSA” - 21 DE JANEIRO.

21 / Febrero / 2017

 

Diversos órgãos de direitos humanos no Distrito Federal, Brasil, juntamente com lideranças religiosas e organismos inter-religiosos e ecumênicos, dentre eles, a Iniciativa das Religiões Unidas – URI Brasília – construíram conjuntamente uma agenda para a semana do “Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa – 21 de janeiro”. A agenda também é parte das celebrações da Semana Mundial da Harmonia Inter-religiosa.


No dia 19 de janeiro foi realizado um debate com o tema “Ameaças à diversidade religiosa e à laicidade no Brasil”, na Catedral Anglicana de Brasília.


Na manhã do dia 20 de janeiro foi realizado um evento do Comitê Nacional de Respeito à Diversidade Religiosa da Secretaria Especial de Direitos Humanos, órgão do Governo Federal do Brasil. Houve apresentação de um importante relatório, livro e pesquisa sobre diversidade religiosa. Elianildo Nascimento, Coordenador do Círculo de Cooperação URI Brasília, foi um dos debatedores.


No dia 20 de janeiro, das 12 às 17 h foi realizado um ato público na Rodoviária do Plano Piloto, Brasília, encabeçado pela Rede de Povos de Terreiro e Jovens de Terreiro.


Ainda no dia 20, no final da tarde, foi realizada uma apresentação do Comitê Distrital da Diversidade Religiosa – CDDR, no Salão Nobre do Palácio Buriti.


No dia 21 de janeiro, foram oferecidos diversos serviços de saúde, higiene, cultura e cidadania para os internos da SalveaSi – Instituição de Tratamento de Dependentes Químicos, bem como uma Corrente Ecumênica de Oração em prol da Paz Mundial, pela harmonia das famílias e pelo fim da intolerância e das diversas formas de violência.


O encerramento das atividades se deu às 17h do dia 21, no Templo Shin Budista de Brasília, onde houve uma bela Celebração Inter-religiosa com a participação das diversas lideranças e organizações, seguida de um momento social.


Foi uma semana de intensas atividades, em diversos espaços, que atingiu um número muito considerável de pessoas, levantando-se a bandeira da paz, da harmonia, da conciliação e da diversidade religiosa.


Realização e apoio: Associação Ateísta do Planalto Central; Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil – CONIC; Igreja Episcopal Anglicana – IEAB DF; Iniciativa das Religiões Unidas – URI Brasília; Ilê Orinla Fun Fun – Templo de Candomblé; Jovens de Terreiro – DF; Observatório da Liberdade Religiosa – OLIR DF; Rede Ecumênica da Juventude – REJU DF; Subsecretaria de Políticas de Direitos Humanos do Governo do Distrito Federal – SEDESTMIDH; Área da Diversidade Religiosa – SEDH.


dianacionalcombateintoleranciareligiosa01

 

LIBERDADE RELIGIOSA: A LUTA É NOSSA

Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

Sarau Inter-religioso

Lançamento do Livro bilíngue "Intolerância Religiosa no Brasil”


20 / Febrero / 2017

 

Evento coorganizado pelo Círculo de Cooperação Movimento Inter-religioso do Rio de Janeiro – MIR RJ, ligado à Iniciativa das Religioões Unidas – URI.


Como parte das celebrações do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa (21 de janeiro) e da Semana Mundial da Harmonia Inter-religiosa (1 a 7 de fevereiro), aconteceu o importante evento “Liberdade Religiosa: a luta é nossa” no auditório da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), na cidade do Rio de Janeiro, com capacidade para 500 pessoas.


Foram ouvidas várias palestras de lideranças inter-religiosas: Católicos, Anglicanos, Judeus, Muçulmanos, Fé Bahái, Budistas, Candomblecistas, Umbandistas, Tradições Nativas, Fraternidade Branca, Paganismo, Santo Daime, Hare Krishna, Druidismo, Ciganos e Koinonia (Presença Ecumênica em Serviço). Além da Comunidade Acadêmica: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Fluminense (UFF) e Instituto de Estudos da Religião (ISER).


No momento cultural, o Sarau Inter-religioso, houve a presença e participação de vários artistas importantes e o coquetel de lançamento do livro bilíngue: "Intolerância no Brasil: Relatório e Balanço”, do qual Maria das Graças Nascimento, coordenadora do Círculo de Cooperação Movimento Inter-religioso do Rio de Janeiro, é coautora. Também esteve representando a URI a vice coordenadora do dito CC, Alice Gress.


O lançamento deu início à campanha para divulgar o livro, receber doações e apresentar o projeto “Assistência Jurídica às Vítimas de Intolerância”. O livro é o resultado do relatório e balanço organizado pela Comissão de Combate a Intolerância Religiosa (CCIR), que tem como interlocutor o Babalawo Ivanir dos Santos.


O livro é inédito e vem bilíngue. A intolerância religiosa continua fazendo vítimas. Nos últimos anos a CCIR vem chamando a atenção da sociedade para o perigo e prejuízos de uma possível ditadura religiosa em um país tão diverso, multicultural e laico como o Brasil. Com informações, estudos, casos e números, traz o propósito de entender e intervir no processo do preconceito. O documento tem como objetivo evidenciar situações de discriminação, violência verbal e física; inseridas no campo da intolerância religiosa no Brasil.


O livro traz o resultado de uma pesquisa cientifica minuciosa. Os pesquisadores participantes da Comissão de Combate à Intolerância / CCIR, do Centro de Articulação das Populações Marginalizadas / CEAP e do Laboratório de História das Experiências Religiosas da Universidade Federal do Rio de Janeiro / UFRJ, apresentam de forma bastante elucidativa os dados levantados em órgãos, que focados na questão da intolerância Religiosa fazem ponte com a sociedade, como a Secretaria de Direitos Humanos, o Centro de Promoção da Liberdade Religiosa e Direitos Humanos e a própria Comissão de Combate à intolerância Religiosa. O livro apresenta uma análise dos dados levantados, com três artigos acadêmicos, levantando a problemática e trazendo sugestões de como lidar com as questões da intolerância religiosa. A obra apresenta um Plano Nacional de Combate a Intolerância Religiosa com atuação eficaz para garantia dos Direitos Humanos, com propostas práticas para a efetiva ação pública, visando à plena liberdade de culto na sociedade brasileira.


“O livro é um dos maiores trabalhos interdisciplinares com foco na Intolerância religiosa. Com dados consistentes, demonstram como a intolerância religiosa cresce de acordo com o desconhecimento e preconceito das pessoas. A intolerância religiosa, o racismo e o preconceito são um dos maiores fenômenos sociais brasileiros”, afirma o interlocutor da CCIR, o Babalawo Ivanir dos Santos. O lançamento do livro é consequência da parceria frutífera entre os diversos grupos religiosos participantes da CCIR, em prol do diálogo e da tolerância entre religiões. A pesquisa está pautada em documentos recebidos, registros de 2010, até dezembro de 2015, encaminhados a CCIR com o objetivo de mostrar a intolerância religiosa como um processo histórico no Brasil e no mundo. Para isso, foram selecionados casos obtidos em registros administrativos, narrativas, depoimentos, entrevistas, notícias e mídias impressa e virtual. As unidades espaciais vão desde a escala local, municipal, estadual, regional e nacional. “Esperamos que o conteudo abordado no livro possa servir de material didático e instrutivo na sociedade. A opção de publicação, também em inglês permitirá a sua utilização nos centros de pesquisas e educacionais fora do Brasil, possibilitando assim um intenso fluxo e intercambio acadêmico de experiências de pesquisas sobre o tema dentro e fora dos centros acadêmicos”, atesta Ivanir.


O Círculo de Cooperação Movimento Inter-religioso do Rio de Janeiro esteve presente tanto na organização do livro quanto na produção de dados estatísticos de intolerância religiosa no Brasil através de Graças Nascimento, cujo depoimento encontra-se abaixo:


“Pessoas queridas: compartilho este momento muito significativo na minha vida: lançamento do livro Intolerância Religiosa no Brasil. Trata-se de longo trabalho de consultoria prestada a CCIR pelo Movimento Inter-Religioso do Rio de Janeiro através de minha pessoa. O lançamento integra a iniciativa da CCIR no âmbito do Dia Nacional de Combate a Intolerância Religiosa. Saudações Fraternais.” Graças Nascimento, Coordenadora do MIR.


Círculo de Cooperação Movimento Inter-religioso do Rio de Janeiro – MIR-RJ / Iniciativa da Religiões Unidas – URI.

"Compartilhar o Sagrado e Servir o Mundo"

Coordenação: Graças Nascimento

Contato: luzgraca@uol.com.br

Vice coordenadora e articuladora da URI: Alice Gress.

Contato: alicegress5@gmail.com.


 

CC Foro Espiritual de Santiago.

18 / Febrero / 2017

 

El 1 de febrero pasado la Comunidad de Reflexión y Espiritualidad Ecuménica (CREE), realizó una jornada de reflexión junto a otras organizaciones sobre el diálogo interreligioso en relación con la niñez. Ese día aprovechamos de conversar acerca de la Armonía Interreligiosa y también tuvimos un tiempo de oración. Participaron amigos católicos, evangélicos y cristianos sin denominación. La asistencia fue de 20 personas y se realizó en una casa de retiros católica en Santiago de Chile. Le adjunto algunas fotos de este hermoso tiempo compartido de reflexión.


Fraternalmente.

Víctor Rey.

CC Foro Espiritual de Santiago


ccforoespiritualstgo201701

 

CC Comunidad Cósmica, Francisco Morales.

15 / Febrero / 2017

 

Invitacionfestival_2ESP

El jueves 19 de enero, a las 16 horas en Belgrano, nuestro hermano Francisco Morales, Artesano y escritor. Fundador y Coordinador del Círculo de la Escritura y la Oralidad Indígena, representante del CC Comunidad Cósmica asistió a una entrevista que fue filmada y compartida en la página de Internet en la radio y Facebook. El tema a tratar fue Escritores Originarios.


El programa d radio se llama El Orejiverde, donde resuena el Origen. Se transmite por Radio MANTRA FM 91.9 todos los jueves de 16.30 a 17 hs Argentina, 14.30 hs. México y 21.30 hs. España.


 

01 / Fevereiro / 2017

 

Invitacionfestival_2POR